RSS

Arquivo da Categoria: A brincar também se aprende

Atividades interativas

http://www.hhmi.org/biointeractive/explore-virtual-labs

Anúncios
 

Desordens alimentares ;)

12

 

Etiquetas:

Ciência para todos- modelos 3D para cegos

Fonte: http://cienciahoje.uol.com.br/blogues/bussola/2014/05/ciencia-para-cego-sentir

Monócito

 

Etiquetas: , , , ,

Aula de substituição

Meninos, requisitei conforme combinado PCS. Deverão dar continuidade ao trabalho que têm mãos (árvore).
Fica aqui uma outra proposta de trabalho que inclui as necessárias orientações para o fazerem.
BOM TRABALHO!

A brincar também se aprende_trabalho autónomo

Conceitos como herança autossómica; holândrica; dominância/ recessividade; dominância incompleta…. podem servir de base à porposta de trabalho que vos envio.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 4 de Fevereiro de 2014 em A brincar também se aprende

 
Imagem

Hormonas

1391870_459512520836290_1921431997_n

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 11 de Dezembro de 2013 em A brincar também se aprende, Humor

 

Modelos de espermatozóides entregues

documento para avaliação dos modelos- auto e heteroavaliação.
AVALIAÇÃO DOS MODELOS 3D DOS ESPERMATOSem legenda

DSC_0258_espermatozóide 2_ok

DSC_0260_espermatozóide 6_ok

DSC_0261_espermatozóide 6_ok

DSC_0262_espermatozóide6_ok

DSC_0264_espermatozóide 3_ok

DSC_0265_espermatozóide 4_ok

DSC_0266_espermatozóide 4_ok

DSC_0267_espermatozóide1_ok

DSC_0268espermatozóide5_ok

DSC_0269_espermatozóide 5_ok

DSC_0272_espermatozóide_7_ok

DSC_0274_espermatozóide_5_ok

DSC_0276espermatozóide_7_ok

DSC_0277_espermatozóide_7_ok

DSC_0278_espermatozóide 7_ok

DSC_0279_espermatozóide_1_ok

 

Etiquetas:

Xeque saudita defende que conduzir danifica os ovários das mulheres. ;D

PÚBLICO 29/09/2013 – 16:58 (actualizado às 17:41)
A Arábia Saudita é o único país do mundo que proíbe as mulheres de conduzir

Saleh bin Saad al-Lohaidan, um dos religiosos conservadores mais importantes da Arábia Saudita, defendeu que a condução de automóveis pode danificar os ovários das mulheres.

“Se uma mulher conduz um carro sem que seja absolutamente necessário pode sofrer consequências psicológicas negativas, já que existem estudos médicos fisiológicos que demonstram que a condução afecta automaticamente os ovários e pressiona a pélvis para cima”, afirmou o xeque saudita. “Por isso achamos que aquelas que conduzem habitualmente têm crianças com problemas clínicos de diferentes níveis”, assegurou numa entrevista dada à publicação digital Sabq.org.

Saleh bin Saad al-Lohaidan defendeu ainda que as mulheres que desafiam a proibição de conduzir deviam privilegiar “a razão em vez do coração, emoções e paixões”. A Arábia Saudita é o único país do mundo que proíbe as mulheres de conduzir. Apesar de não exisitir uma lei específica, apenas os homens têm direito a obter carta de condução. A proibição baseia-se em fatwas (éditos) emitidos por líderes religiosos wahhabitas, corrente rigidamente puritana muito influente junto da monarquia saudita. As mulheres que forem identificadas a conduzir podem ser multadas e detidas. Na Arábia Saudita, as mulheres precisam de uma autorização por escrito do marido, pai, irmão ou mesmo do filho para sair do país, trabalhar ou até submeter-se a operações cirúrgicas.

Saleh al Luhaidan é conselheiro jurídico numa associação de psicólogos. Pode aconselhar o Governo e influenciar as políticias conservadoras do regime.

Um grupo de activistas lançou recentemente uma campanha para contestar a proibição de conduzir, pedindo às mulheres sauditas para saírem à rua com os seus próprios carros no próximo dia 26 de Outubro. O site que promove a acção está bloqueado no país desde hoje. A contestação contra a proibição é crescente e muitas mulheres partilham nas redes sociais e no YouTube imagens de si mesmas a conduzir. Manal al-Sharif, 32 anos, consultora de tecnologias de informação, divulgou em 2011 um vídeo em que conduzia e incentivava outras mulheres a aderir ao movimento Women2Drive. Acabou presa. Foi obrigada a pôr por escrito que não voltaria a conduzir e foi libertada dez dias depois de ter sito detida. Em Junho deste ano, Manal al-Sharif foi uma das convidadas das conferências TED. “Houve uma campanha de difamação organizada contra mim. Foi uma punição por me ter atrevido a desafiar as regras da sociedade”, contou. “Tornei-me numa vilã no meu país e uma heroína no estrangeiro”. Manal al-Sharif, que entretanto se tornou uma activista por esta causa, diz que lhe perguntam muitas vezes quando é que ela acha que as mulheres vão poder conduzir na Arábia Saudita. “Só se as mulheres pararem de perguntar ‘quando’?”

Fonte: http://www.publico.pt/mundo/noticia/sheik-saudita-defende-que-conduzir-danifica-os-ovarios-das-mulheres-1607478