RSS

Gâmetas e fecundação.

12 Set

ouriço do mar
Vamos lá ver se é este ano que consigo com sucesso usar os ouriços par observar gâmetas ou embriões…
Têm morrido, invariavelmente, nas minhas mãos😉. Na verdade já chegam em estado comatoso e depois de grande festim- É PRECISO EXPLICAR A QUEM OS APANHA que devem ser separados uns dos outros😉
Aqui ourico-prática fica o documento

Só por curiosidade…

Outro exemplo de protocolo:
________________________________________________________________________________________________________
“Observação dos Gâmetas de ouriço do mar e fecundação dos mesmos

Esta atividade laboratorial decorreu no dia 12 de Outubro do corrente ano, no Laboratório de Biologia da Escola Secundária de Lagoa. Um dos objetivos desta atividade foi a observação dos gâmetas femininos e masculinos do ouriço, separadamente, e, de seguida, procedeu-se à fecundação dos mesmos com a respetiva observação das diversas fases desta. Também tínhamos como objetivo a observação de algumas das etapas do desenvolvimento embrionário do ouriço-do-mar. Assim, os resultados que serão apresentados terão em conta os objetivos anteriormente referidos e os mesmos serão discutidos tendo em conta o enquadramento teório abaixo apresentado.

A fecundação entre os ouriços dá-se de uma forma externa. Designamos por fecundação externa, sempre que se dá o encontro dos gâmetas femininos e masculinos fora do corpo dos seres vivos, sendo no caso dos ouriços em meio aquático.

Os gâmetas depois de serem libertados na água, encontram-se devido a uma substância química que atrai os espermatozóides da mesma espécie. É graças a este químico que é possível, no mar, os espermatozóides encontrarem os óvulos da espécie correspondente, depois da fecundação forma-se um ovo ou zigoto que se multiplica para originar uma larva, que futuramente originará um ouriço.

Morfologia do ouriço do mar:

diapositivo1
Material:

– Solução de KCl de concentração 0,5Mol;

– Lamelas;

– Gobelé;

– Microscópio elétrico;

– Microscópio ótico composto LEICA ICC50;

– Placa de Petri;

– Lâminas Laboratoriais;

– Lâminas escavadas;

– Seringa de plástico;

– Água do mar;

– Pipeta de Pasteur.

Procedimento:

1. Observou-se os Ouriços do Mar e identificou-se as zonas que estão representadas na figura acima.

2. Injetou-se, com a ajuda de uma seringa, 2,0 ml de KCl 0,5 M na cavidade do corpo através da membrana que rodeia a boca.

3. Colocou-se na face ventral para baixo, sobre uma lâmina até o animal libertar os gâmetas no lado dorsal e verificou-se a cor do líquido produzido por cada animal.

4. No caso da fêmea, inverteu-se o ouriço sobre um gobelé com água do mar, para que se deposite os óvulos na água. No caso do macho, inverteu-se o ouriço sobre uma Placa de Petri seca para recolher o esperma.

5. Transferiu-se, com uma pipeta de Pasteur, uma gota da suspensão que contém os óvulos para uma lâmina de vidro e observou-se no microscópico ótico. No caso do macho, transferiu-se, com outra pipeta de Pasteur, uma gota da suspensão que contém os espermatozoides para uma lâmina de vidro e observou-se os gâmetas deste sexo no microscópio ótico;

6. Adicionou-se uma gota de esperma diluído aos óvulos que se encontravam na lâmina e observou-se imediatamente ao microscópio;

7. Reduziu-se a intensidade luminosa para permitir a visualização do flagelo. Captou-se imagens microscópicas daquilo que se observou;

8. Adicionou-se uma gota de esperma diluído aos óvulos que se encontravam na lâmina e observou-se ao microscópio ótico. Para concluir, 2 a 5 minutos depois, observou-se a formação da membrana de fertilização. Capturou-se fotos daquilo que se estava a observar

Nesta imagem podemos observar os espermatozóides do ouriço do mar. (ampliação total 400x)

espermatozoides-x40

Nesta imagem podemos verificar que se está a iniciar a fase da Fecundação. Consegue-se observar vários óvulos sendo que estes estão todos (ou quase todos) rodeados de espermatozoides que têm como finalidade conseguir fecundá-los. Aqui nesta imagem é também visível a membrana de fecundação à volta dos óvulos. Isto acontece pelo facto da Reação Acrossómica (é a reacção que ocorre no acrossoma do espermatozoide quando este se aproxima do óvulo) já ter ocorrido, o que nos indica que a fertilização já foi realizada.

hfut

No centro da imagem podemos observar os 2 blastómeros já em formação. Após a fecundação, o ovo ou o zigoto entra logo em segmentação ou clivagem e começa a formar os blastómeros. Numa primeira fase, na 1ª clivagem, estão presentes os 2 blastómeros como é apresentado nesta figura.

Nesta imagem podemos observar a Larva (larva pluteus). Esta é um animal em desenvolvimento, ou seja, a Larva (larva pluteus) é um novo ouriço do mar que ainda está em desenvolvimento. Esta evolui para várias outras formas até chegar à fase final, de indivíduo adulto: Ouriço do Mar.

larva

FONTE (PROTOCOLO E FOTOS):
http://triobio.wordpress.com/2011/12/01/observacao-dos-gametas-de-ourico-do-mar-e-fecundacao-dos-mesmos/

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 12 de Setembro de 2013 em Praticas, Unidade 1

 

Etiquetas: , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: